26 de maio de 2010

Momentos de Reflexão Espiritual

Esse é o título que deram para esse livro que acabei de ler. Trata-se de uma coletânea de textos escritos ou pregados por Paulo Garcia.

Estou lendo esse livro há muitos meses...a cada semana lia um pouquinho...naquele estilo devocional...cada texto um tema diferente.

Algumas coisas são interessantes e eu escolhi para transcrever um textinho que está no livro:


«As crianças aprendem aquilo que vivem

Se uma criança vive na crítica,
aprende a condenar.

Se uma criança vive com maus tratos,
aprende a agredir.

Se uma criança vive humilhada,
aprende a sentir-se culpada.

Se uma criança vive na tolerância,
aprende a ser paciente.

Se uma criança vive no encorajamento,
aprende a ser confiante.

Se uma criança vive com o apreço dos outros,
aprende a valorizar.

Se uma criança vive no equilíbrio,
aprende a ser justa.

Se uma criança vive em segurança,
aprende a ter fé.

Se uma criança é bem aceite,
aprende a respeitar.

Se uma criança vive na amizade,
aprende a encontrar o amor no mundo.»

- Dorothy Law Nolte, em "As crianças aprendem o que vivem"
21 de maio de 2010

Coisas que eu não entendo, mas que creio!


No retiro do início desse ano, eu li "Oração" de Philip Yancey. Não sei por qual razão não postei algo sobre esse livro aqui no blog.

O fato é que esse livro me intrigou mais do que abençoou, na medida em que eu me deparei com uma pergunta que, por incrível que pareça, nunca tinha vindo de forma profunda a minha mente: Se Deus já sabe, por que orar?

O livro dá muitas explicações...coisas que eu já sabia e coisas que eu não imaginava, como: oração nos transforma; oração nos aproxima de Deus; oração nos ajuda a reconhecer DEUS e a Sua vontade; Jesus nos ensinou a orar; a Bíblia nos orienta a orar...etc etc...

Acho que disso eu não tinha muita dúvida, e nem estava com vontade de parar de orar...já virou hábito e obviamente funciona...em relação à confissão, adoração, ações de graças e outros assuntos...tranquilo...mas uma pulga ficou na minha orelha: como orar com vigor e fervor por um milagre ou por alguma causa específica, se Deus já sabe, já tem um plano/propósito etc etc?

Foi aí que uns meses atrás eu me deparei na livraria com esse livro de Douglas Kelly (não sei quem é), cujo título é justamente o ponto nodal da questão. Achei eu que iria encontrar alguma resposta objetiva (fui induzido a erro pelo título do livro, que sugere essa resposta), mas me deparei com os seguintes parágrafos:

"Quando pensamos a respeito da oração para o plano de Deus realizar-se em nossas vidas e na de todo mundo podemos ter a perspectiva correta se conservarmos juntas, em nossas mentes, estas duras e tremendas verdades bíblicas. A primeira é que Deus tem um plano totalmente abrangente e inteiramente soberano sobre tudo. A outra é que a oração do homem é realmente eficiente no campo sobrenatural.
Onde quer que estas verdades estejam juntas, um certo processo químico toma lugar. Alguma coisa maravilhosa acontece com aqueles que nelas crêem, conserva-as juntas e as põe em prática. Tem efeito marcante tanto em sua vida de oração como em seu serviço público."

Em suma, é um mistério, assim como é um mistério a Trindade e a dupla natureza de Jesus. Vou orar (rsrsrsrs) pra que, racionalmente, eu consiga manter o fervor e continuar orando...



20 de maio de 2010

?!? - O momento

Como ser mais parecido com Jesus? Como ser um melhor esposo, melhor pai, melhor filho, melhor irmão, melhor amigo? Como ser um melhor profissional? Como servir melhor ao meus irmãos? Como ser um melhor torcedor do Náutico? MAIS UM BEBÊ A CAMINHO! Como expressar em palavras tamanha gratidão? Como me preparar melhor para tamanho desafio? Como ajudar melhor a minha esposa a conduzir a gravidez? Como preparar meus dois primeiros filhos para essa nova situação?
?!?
19 de maio de 2010

Casados & Felizes


Esse é o título do livro que ganhei da minha esposa, escrito por Hernandes Dias Lopes.
Sinceramente, antes de casar eu li uns três livros com essa temática...na cadeira de Família Cristã do seminário tive que ler mais uns três...de lá pra cá devo ter lido mais uns três, sem medo de errar...
Casados & Felizes está longe de ser o mais completo, mas para mim é o mais objetivo, direto e legal de todos. Além disso tudo, tem a vantagem de ter sido escrito por um brasileiro, que tem produzido materiais muito bons.
Ele não enrrola e nem precisa ficar repetindo tudo pra engossar o caldo. É um livro pequeno, com letras grandes, mas o conteúdo é muito proveitoso para homens e mulheres. Eu não concordei com tudo o que li, mas devo dizer que fui tocado muitas vezes, exortado muitas vezes e concordo com 95% do que está ali escrito.
Pra não ficar só no comentário, vou transcrever um poema de Vitor Hugo, que o Autor invoca no livro. Vejam que legal:

O Homem e a Mulher


"O homem é a mais elevada das criaturas.
A mulher é o mais sublime dos ideais.
Deus fez para o homem um trono;
Para a mulher um altar.

O trono exalta; o altar santifica.
O homem é o cérebro; a mulher o coração, o amor.
A luz fecunda; o amor ressuscita.
O homem é o gênio; a mulher o anjo.

O gênio é imensurável; o anjo indefinível.
A aspiração do homem é a suprema glória;
A aspiração da mulher, a virtude extrema.
A glória traduz grandeza; a virtude traduz divindade.

O homem tem a supremacia; a mulher a preferência.
A supremacia representa força.
A preferência representa o direito.
O homem é forte pela razão; a mulher invencível pelas lágrimas.

A razão convence; a lágrima comove.
O homem é capaz de todos os heroísmos;
A mulher de todos os martírios.
O heroísmo enobrece; os martírios sublima.

O homem é o código; a mulher o evangelho.
O código corrige; o evangelho aperfeiçoa.
O homem é o templo; a mulher, um sacrário.
Ante o templo, nos descobrimos;

Ante o sacrário ajoelhamo-nos.
O homem pensa; a mulher sonha.
Pensar é ter cérebro;
Sonhar é ter na fronte uma auréola.

O homem é um oceano; a mulher um lago.
O oceano tem a pérola que embeleza;
O lago tem a poesia que deslumbra.
O homem é a águia que voa; a mulher o rouxinol que canta.

Voar é dominar o espaço; cantar é conquistar a alma.
O homem tem um fanal; a consciência;
A mulher tem uma estrela: a esperança.
O fanal guia, a esperança salva.

Enfim...
O homem está colocado onde termina a terra;
A mulher onde começa o céu...


Vitor Hugo
17 de maio de 2010

Mais Tudo!

Vem aí mais um filho ou filha; mais responsabilidade; mais trabalho; mais custos; mais aperreio; mais noites sem dormir;

Vem aí mais um Filho ou filha; mais alegria; mais brincadeiras; mais festas; mais sorrisos; mais brincadeiras e mais franqueza...

Que DEUS abençoe a gestação de Paula, o parto e o bebê...seja menino ou menina...
15 de maio de 2010

O resgate do feminino


Acabei de ler esse livro. Simplesmente fantástico. Pra homens e mulheres. Os homens lerão para ativar em si o "anima" princípio ativo feminino tão necessário e escasso em nosso gênero. As mulheres lerão para não se afastarem dele, em tempos de mulher-macho, mulher-profissional de três expedientes etc...
Adquirimos nosso exemplar quando Paula e eu participamos de um retiro espiritual conduzido pela Autora, Isabelle Ludovico, recentemente. Eu já a conhecia de ler seus artigos em "Mãos Dadas" e já conhecia seu marido, o Oscar Ludovico, de ler vários artigos dele e um livro (na lista ao lado: "Meditatio").
Fiquei com dificuldade de escolher um trecho pra transcrever aqui...são muitos grifados no meu livro...então decidi transcrever uma frase do livro e indicar uma metáfora que a Autora também cita:
A frase: "Se, no século passado, discutia-se a dialética entre razão e fé, hoje a questão central é a relação entre fé e justiça."
A metáfora está no seguinte link: http://www.tadashi.com.br/metaforas.asp?cod=28
4 de maio de 2010

Não Somos Profissionais

Acabei de ler esse livro do renomado John Piper. O livro é denso e, em muitas partes, truncado, pois trata de vários temas.

Mas esse cara é tão lúcido e profundo, que todos os temas instigam e me deixaram com gosto de quero mais. Teve coisa que eu achei pouco relevante; teve coisa até que eu discordei...

A sinopse diz o seguinte:

"Nós, pastores, estamos sendo massacrados pela profissionalização do ministério pastoral. A mentalidade do profissional não é a mentalidade do profeta. Não é a mentalidade do escravo de Cristo. O profissionalismo não tem nada que ver com a essência e o cerne do ministério cristão. Quanto mais profissionais desejamos ser, mais morte espiritual deixaremos em nosso rastro. Pois não existe a versão profissional do “tornar-se como criança” (Mt 18.3); não existe compassividade profissional (Ef 4.32); não existem anseios profissionais por Deus (Sl 42.1)."

Isso já deu um gostinho? Então vejam só esse pequeno recorte do que o cara falou sobre adoração comunitária na igreja dele (Bethlehem Baptist Church (Igreja Batista Belém):


"1. A centralidade de Deus. Eis a prioridade máxima do foco do culto matinal de domingo. O objetivo principal é experimentar Deus de modo que ele seja glorificado em nossas afeições.

2. Desejar a presença poderosa de Deus. Não só nos dirigimos a ele como buscamos sinceramente a sua aproximação, devido à promessa encontrada em Tiago 4.8. Cremos que na adoração Deus se aproxima de nós com poder e se faz conhecido e sentido para nosso bem e a salvação dos incrédulos que estão em nosso meio.

3. Fundamentos e saciados na Bíblia. O conteúdo de nossas canções, orações, saudações, pregações e poesias sempre corresponderá à verdade das Escrituras. A palavra de Deus entrelaça tudo o que fazemos na adoração e será a base de todo o nosso interesse pela autoridade.

4. Cabeça e Coração. A adoração almeja acender e manter emoções profundas, fortes e verdadeiras em relação a Deus, mas não manipula as emoções das pessoas deixando de instigar o pensamento claro sobre as coisas espirituais baseadas nas evidências compartilhadas exteriormente.

5. Zelo e intensidade.Evite o ambiente repetitivo, irreverente, superficial. Em vez disso, estabeleça um exemplo de reverência, amor e admiração.

6. Comunicação sincera. Rejeite de forma total a farsa, fraude, hipocrisia, fingimento, pretensão e vaidade. Evite a atmosfera de práticas artísticas ou de oratória, e cultive a atmosfera propicia ao encontro radicalmente intimo com Deus e a verdade.

7. A manifestação de Deus e do bem comum. Almejamos, esperamos e oramos (segundo 1Co 12.7) que nosso foco na manifestação de Deus seja salutar para as pessoas e que, consequentemente, o espírito de amor recíproco não se torne incompatível, mas necessário à adoração verdadeira.

8. Excelência diligente. Tentaremos cantar, tocar, orar e pregar com tanto fervor que a atenção das pessoas não se desviará da substância por causa da negligência ministerial ou pelo requinte, elegância ou sofisticação excessivos.A excelência natural e diligente permitirá que a verdade e a beleza de Deus resplandeçam.

9. Mesclando a música contemporânea e a história. “Ele lhes disse: “Por isso, todo mestre da lei instruído quanto ao Reinado dos céus é como o dono de uma casa que tira do seu tesouro coisas novas e coisas velhas” (Mt 13.52)."