23 de setembro de 2010

"Ando devagar porque já tive pressa", de Almir Sáter, citado por @gondimricardo na @ultimato



Sou assinante da Ultimato (http://www.ultimato.com.br) há muito tempo, mas não me lembro de ter postado nada aqui sobre o que leio nessa revista.

Esse mês a revista está muito boa, como é de praxe.

Mas dessa vez eu decidi comentar aqui um artigo, escrito pelo sempre inquieto Ricardo Gondim.

Eu admiro muito esse pastor e articulista especialmente pela sua coragem de se expor, sem medo de ser considerado herético e sem medo de julgamentos ou retaliações.

Nesse artigo, Ricardo diz que quer se despojar de falsas onipotências, como por exemplo, imaginar que verdades e princípios o blindariam contra decepções e tristezas, superestimando a própria capacidade de anular contingências existenciais.

Como eu decidi que vou me esforçar ao máximo para aprender com os sábios que me precederam na caminhada cristã, e considerando que eu tenho a tendência a superestimar essa capacidade igualmente, tomei o artigo como conselho e mentoreio.

Sei que nesse aspecto, não há “super-homens”! Prefiro seguir sabendo que sou espiritualmente pobre (Mt.5:3)!

Ele continua citando Almir Sáter: “Ando devagar porque já tive pressa”...tomei isso também como conselho...não vou deixar que o relógio dos outros determinem a minha velocidade! E quem me conhece sabe de quanto isso é difícil pra mim.

Ele finaliza com essa frase: “...gratidão nasce de uma memória que não é soberba”. Quanto a essa frase, acho que não preciso dizer mais nada.

Recomento a leitura desse artigo; recomendo a leitura da revista!

2 comentários:

Murilo disse...

Grande Ivanzinho, frequento a PAES, e tenho lido alguns dos seus posts. Compartilho com vc. o gosto pela Leitura. Minha preferência é a literatura cristã, mas gosto de todos os temas, e as vezes é necessário mesmo. Quando leio Jonh MacArthur por exemplo, leio em seguida um livro que trata da Graça de Deus. Vai como sugestão um grande livro Ressurreição de Liev Tolstoi. É romance mas vale a pena ser lido. Abraço

Ivanzinho disse...

Olá Murilo, vou procurar esse livro pra ler. Esse ano li uns romances muito bons e estou motivado a continuar. Um abraço,
Ivanzinho